sábado, 14 de maio de 2011

Hoje é um dia especial

Essa imagem encontrei no blog tramas da faxina e cabe muito bem à semana que tive.
Uma das maiores dificuldades que encontrei foi me "livrar" de coisas antigas e que têm um valor sentimental muito grande. São peças decorativas, livros, revistas, lustres, cartões, dicionários, papéis de decoupage, peças em mdf que fiz ou estão por fazer, CDs (até LPs ... abafa o caso) e que estão nas prateleiras da despensa, há tempos, aguardando um destino. Tomei coragem e fiz uma seleção para doar numa Instituição que cuida de crianças com necessidades especiais e que fiquei sabendo, usam muitos papéis enquanto fazem fisioterapia com as mãos; enfim, estou "dando espaço ao novo". Cansada, mas, aliviada. Dia desses assisti um programa na Discovery Home Health chamado "Acumuladores", uma doença que deve ser tratada de modo sério por todos da família e que faz com que a pessoa acumule todo tipo de coisas, vai de lixo a peças novas adquiridas em leilão, isso, por medo de precisar delas um dia. Misericóridia! Não cheguei a tanto. Mas, um comentário do psiquiatra no final desse programa me fez analisar o que guardei nesse tempo de outra maneira. Ele falou que, tudo em nossa vida tem que ter uma função. Se somos colecionadores, temos que ter peças de valor financeiro; caso contrário, corremos o sério risco de acumular peças de um mesmo ítem e, ... pra quê? Medo de precisar disso no amanhã? Medo de que quem nos presenteou se sinta desrespeitado se não encontrar em nossa casa o presente que nos deu há anos, mesmo que ele não combine mais com a decoração atual? E, pra quê meia dúzia de vasos se compro flores de vez em quando e uso só um deles? Pra quê uma série de potinhos de plástico se uso só alguns? E ele finaliza dizendo que saudável é ter nossa casa com espaço para receber coisas novas e, quando isso acontece, devemos usar essa coisa nova e não guardar para um dia especial, porque, hoje é um dia especial.
Beijos

7 comentários:

So artes disse...

adorei o post Iray...detesto acumular coisas..nao vale a pena mesmo!
beijinhos querida e um bom Domingo pra vc
So *Ü*

Anna disse...

Amei o texto =)
Acredito que eu não seja uma acumuladora, com frequencia faço doações de roupas, sapatos e livros.
Bjoos

Cantinho da Zazá disse...

Belíssima atitude! Parabéns! Objetos parados e/ou acumulados, sem uso, é Energia Estagnada e "ter medo de que um dia vai precisar" é ser pessimista e retrógrada. Lembranças ficam guardadas na memória e no coração! Valeu! Qual é o nome da instituição que receberá a sua doação? Onde fica?Bjs e um Bom Domingo! Zazá (zaza100@globo.com)

Ateliê Toque de Arte disse...

Zazá, o nome da Instituição é Estrela da Esperança.

Ateliê Toque de Arte disse...

Zazá, Estrela da Esperança fica aqui mesmo em Rio Claro/SP no Bairro do Estádio. Beijos,

Sónia disse...

Iray, eu desde que mudei de casa 3 vezes em 2 anos e meio, e cada mudança implicava mudança de zona do país, deixei de ser acumuladora. Só tenho o essencial em casa mesmo. nada de papel e revistas acumuladas só porque sim, nem roupas velhas, nem jarra partida.
Assim que as revistas são lidas vão para o ecoponto, jarras partidas para o lixo, não fica nada cá em casa.
beijos

SUSANA disse...

Hola Iray :
Me sentí muy identificada con ésta nota ,muchas gracias por publicarla y veré si puedo ponerla en práctica .Un beso y hasta pronto.